MENU

Governança do CECS

A estrutura de Governança do CECS, após a sua consolidação definitiva, consistirá de um Comitê Técnico, como o órgão deliberativo das decisões, composto pelos órgãos e entidades de ensino e pesquisa, conforme se visualiza abaixo:

orgaos 2


 Órgãos e Entidades:

1.    Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa),
2.    Instituto Federal do Norte de Minas (IF-Norte de Minas),
3.    Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes),
4.    Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig),
5.    Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM),
6.    Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG),
7.    Fundação Educacional de Montes Claros (FEMC),
8.    Instituto Estadual de Florestas (IEF), e
9.    Instituições convidadas ad hoc, que terão assentos rotativos

                                 
É importante salientar que a participação das instituições convidadas ad hoc que irão compor o Comitê Técnico poderá ser da iniciativa privada empresarial, de outros órgãos de pesquisa ou ainda de órgãos que não sejam exclusivamente de pesquisa.

Atribuições do Comitê Técnico:

A Governança do CECS, através do seu Comitê Técnico, terá como objetivo supervisionar as atividades do Centro, estabelecendo focos de prioridades que serão baseados nas demandas reais da sociedade (acadêmica/científica e da população local).

A composição do Comitê Técnico terá a princípio, as instituições listadas anteriormente, mas que poderão ser descredenciadas caso alguma delas não venha a participar consecutivamente de três reuniões ordinárias convocadas pelo Comitê ou de acordo com outro critério que o Comitê venha a definir.

As reuniões serão convocadas com um mês de antecedência, com avisos de confirmação para um mês, quinze dias e dois dias antecedentes ao evento, e ocorrerão trimestralmente (ou bimestralmente) em locais rotativos para definição de novas metas a serem traçadas durante o período, bem como para avaliar o andamento das ações propostas no período anterior.

Fonte: Plano Diretor do Centro de Estudos de Convivência com o Semiárido (CECS), 2010.

rodape 2

Vá para o topo